sexta-feira, 14 de abril de 2017

"13 REASONS WHY" Por que assistir?


Ha praticamente duas semanas atrás saiu a tão esperada série "13 reasons why" no netflix, série que seria adaptação de um livro com o mesmo nome, porém, quem já leu o livro sabe que na série algumas coisas foram mudadas, porém de uma forma que todos conseguissem entende o papel de cada pessoa ali, fazendo com que nós entendessemos vários lados da história, e não só da história da personagem principal, que já começa o primeiro episódio da série morta, logo depois de ter se suicidado, por razões que a mesma deixa gravadas em 7 fitas diferentes (lado a, lado b/frente, costas).
Nas fitas, Hannah Baker deixa bem claro quais foram os motivos que a levaram a fazer o que fez, a ter acabado com sua vida, ainda adolescente, e mostra tudo na sua visão. Tudo bem que a decisão de acabar com sua vida foi dela, só ela teria poder de decidir continuar ou não viva, mas você já parou para pensar que várias pessoas (garotas e garotos) passam por isso diariamente, se perguntando se devem ou não cometer suicídio? Querendo ou não, é algo do qual precisamos falar também. Suicídio não é brincadeira, é algo sério, que pode acontecer com qualquer um, você já parou para pensar isso?
Por mais que cada um decida o que quer fazer com sua vida, existem razões que só quem viveu pode entender de verdade, só quem já passou por coisas assim pode sentir. Então, antes de qualquer coisa: nunca julgue alguém por essa atitude. Se você conhece alguém que da indícios de querer se matar, por favor, ajude essa pessoa, converse com ela, mas jamais a julgue. Não seja um porquê, ajude ela a não ser uma Hannah Baker.

Nunca nem passou pela minha cabeça em querer acabar com minha vida, acredito eu que devemos valorizar a vida que temos e nunca tive motivos para isso, mas precisamos entender que algumas pessoas tem tendências a pensar sobre isso com mais facilidade, e as vezes, acabam cometendo o suicídio, que é sim coisa séria.
Lá em torno dos meus onze ou doze anos, passei por uma fase onde sofri bullying, onde apanhava todos os dias na escola, e para algumas pessoas aquilo ali parecia muito engraçado. Uma garotinha boba na pré adolescência, magricela, de cabelo armado, corpo disproporcional, acne no rosto, sendo zuada e levando tapas na cabeça todos os dias na escola por suas "colegas" de classe. Enquanto as meninas (3, para ser mais específica) me batiam, a classe toda zuava e levava tudo aquilo na brincadeira, falavam mal de mim o tempo todo, e eu ficava quieta, até que cheguei a contar para a diretora da escola quando a coisa começou a ficar mais séria, mas sabe o que aconteceu? nada. Nunca aconteceu nada. Mas eu, apesar de chorar quando chegava em casa todos os dias, era forte o suficiente para amar a vida que eu tinha e valorizar as coisas boas que me aconteciam quando eu não estava na escola. Se eu já sofri bullying virtual? Sim, tudo na mesma época, era época do famoso "ask", onde as pessoas faziam perguntas anônimas pela internet e você jamais saberia quem te perguntou, mas no meu caso não eram apenas perguntas, eram frases e frases falando mal de mim, coisas que me deixavam completamente triste. A escola inteira ria de mim, isso se tornou algo "normal", e quando me perguntam se eu sinto falta do meu ensino fundamental e eu digo que "não, é como se essa época nem tivesse feito parte da minha vida", é por esse motivo, é por tudo que aconteceu comigo. Mas eu sempre tive minha família me ajudando em tudo, e dentro daquela escola apenas uma garota (minha mais antiga amiga) ficou do meu lado o tempo todo e não ria de mim igual todos os outros. Eu não tinha 13 motivos, 13 pessoas igual a Hannah Baker, eu tinha uma escola de motivos, dois anos do motivos, mas nunca a vontade. Eu amava a minha vida, e graças a Deus, foi uma fase, eu cresci, eu nunca considerei esses fatos que aconteceram na minha vida como motivos. Mas precisamos conversar sobre, pois muitas pessoas passam por isso, muitas pessoas consideram essas coisas como motivos, como "porquês". 

Depois de assistir a série eu parei para pensar claramente sobre: e se eu tiver sendo o "porquê" de alguém, quando eu dou risada de alguma pessoa, quando eu faço algo que para mim é como uma brincadeira, mas que deixa alguém verdadeiramente chatiado? Da mesma forma que as pessoa que me zoavam pensavam que aquilo não se passava de uma brincadeira, mas para mim não era. Pode ser que para alguém também não seja. E se você for o "porquê" de alguém? Será que você já se perguntou isso? 13 Reasons Why nos faz pensar o tempo todo sobre a forma que agimos com as pessoas do nosso lado, não só dentro da escola, mas também na faculdade, no trabalho, na rua, na vida. Uma brincadeira só é uma brincadeira quando a pessoa gosta e se diverte junto, sem nenhum sentimento triste de verdade, Caso ao contrário, caso uma pessoa apenas se sinta ofendida, já basta para isso deixar de ser uma brincadeira. As vezes podem ser coisas que consideramos pequenas, mas para alguém é algo de grande importância. E quando eu me refiro ao bullying, não me refiro só sobre os tapas (agressão física) que alguém leva, mas também as agressões morais, psicológicas, políticas, econômicas e sociais, que sim, acontecem e por toda a parte, só precisamos abrir o olho as vezes para perceber que o mundo está cercado de porquês e de Hannah Bakers.

Outro fato que essa série me fez parar para pensar um pouco mais é que: ficando quieto nada vai mudar. Sabe quando você vê alguém sofrendo qualquer tipo de bullying, você não participa de nada, mas acha que ficando quieto pode ajudar? Não, ficando quieto é como se você estivesse apoiando tudo o que acontece. A série me fez parar para pensar que as vezes o fato de conversamos e apoiarmos pessoas que sofrem qualquer tipo de agressão já é uma ajuda. Cada um ajuda como pode, mas já parou para pensar que as vezes alguém só precisa de uma companhia ali, de um apoio, de um ombro amigo, de alguém para a convencer de que a vida vale a pena ser vivida e para mostrar que essa pessoa não está sozinha? Não vou dizer que eu nunca ri de alguém, todos já cometemos algo assim algum dia, mas e se a gente tentasse parar? E se todo mundo ajudasse as pessoas que precisam ser ajudadas, mas as vezes tem medo de falar e acabam rindo para disfarçar a tristesa? Isso acontece e muito, mas precisa ter um fim. Quando alguém se suicída, é comum ouvirmos as pessoas falando frases como "nossa, por que ela fez isso?" ou "ela não deveria ter se matado, as vezes era só uma fase ruim da vida dela", mas se você conhecia essa pessoa, por que não sentou para conversar com ela, por que não a contou que era só uma fase e que ela podia contar com você, que isso iria passar? São em coisas simples que podemos ajudar essas pessoas, de pouco em pouco, podemos diminuir histórias de suicídio. 

E foi assistindo essa série que eu percebi que o mundo está cerdado de porquês, mas também foi assistindo essa série que eu entendi que se cada pessoa ajudar o próximo, as Hannahs vão se diminuindo aos poucos, e não se diminuindo porque acabarm se matando, mas se diminuindo, porque a vontade de morrer sumiu, dando lugar para a vontade de viver. Se você ai do outro lado da telinha já pensou em agir como a Hannah, saiba que você não está sozinho.

Ainda não assistiu "13 REASONS WHY"? Relaxe, aqui não teve, nem vai ter spoiler nenhum, mas assista e tire suas próprias conclusões sobre a série. Espero de coração que de alguma forma esse post de hoje possa fazer vocês pensarem um pouco sobre a vida, sobre o quanto devemos valorizá-la e ajudar quem está precisando, nem que seja com um abraço. ♥ 


Um comentário:

  1. Caramba! Vc se supera à cada texto! Excelente sua colocação sobre o assunto!

    ResponderExcluir

Pesquisa: